Cai coligação do DEM e PSol

| |


No Novo Gama, cidade do Entorno do Distrito Federal, a Justiça Eleitoral anulou uma coligação esdrúxula. Liberais e socialistas conviveriam tranqüilamente no mesmo palanque sem crises ideológicas não fosse uma decisão da juíza Alessandra Gontijo do Amaral, da 4ª Zona Eleitoral do município. Ela excluiu o PSol da coligação que apóia a candidatura de José Santos (DEM) à prefeitura. O motivo alegado é ideológico, uma decisão da executiva nacional e estadual do partido de intervenção sumária nos casos de alianças, coligações ou acordos que contrariem as diretrizes fixadas pela cúpula do PSol.

Na decisão, a juíza sustenta que as deliberações tomadas nas convenções municipais devem seguir as orientações de suas respectivas executivas nacionais. O PSol e o DEM têm linhas programáticas opostas em relação ao tamanho do Estado. “O ato interventivo ocorre legalmente, visando manter a ideologia do partido, e fazer com que o eleitor conheça o partido e não o candidato, porque se o eleitor não conhece a ideologia e o programa do partido porque este não os tem ou se tem não os obedece em nome de interesses locais, como poderia fazê-lo escolher partidos e não candidatos?” questionou a juíza.

A coligação Mudança Agora é integrada ainda pelo PCB, PSB, PSC e PSL. O pedido de intervenção foi protocolado pela direção regional do PSol, que não admitia a coligação com José Santos, suplente que chegou a assumir o mandato de deputado distrital na legislatura passada, em 2002, quando o titular, Aguinaldo de Jesus, então no PFL, se licenciou da Câmara Legislativa, para assumir o cargo de administrador regional do Riacho Fundo. “Acreditamos que a intenção era usar a imagem e a popularidade da Heloísa Helena na campanha”, aposta Antônio Carlos de Andrade, o Toninho do PSol, uma das estrelas do partido no DF. A mesma juíza negou pedido semelhante protocolado pelo PCB, já que o partido não teria anexado documentos que comprovassem a proibição de coligações definidas pelas executivas municipais.

A estratégia do PSol é investir nas campanhas do Entorno como meio para começar a fortalecer a legenda no Distrito Federal. Toninho e a ex-deputada federal Maria José Maninha (PSol) vão participar da eleição como cabos eleitorais. Um dos principais candidatos do PSol é o pedagogo Alexandre Varela, que concorre à prefeitura de Valparaíso. Ele foi coordenador da campanha de Toninho ao Governo do Distrito Federal em 2006. “A Heloísa Helena é muito querida no Entorno. Muita gente se interessa quando apresento meu programa para a prefeitura e mostro que tenho o apoio dela”, afirma Varela. Ele disputa em chapa pura, tendo como vice Ademilson, também do PSol.

O partido tem candidatos a prefeito também em Luziânia, Cidade Ocidental, Santo Antônio do Descoberto, Águas Lindas e Planaltina de Goiás. Até 2010, a meta da legenda é montar diretórios regionais em todas as cidades do DF e também no Entorno, para chegar às próximas eleições em condições melhores do que há dois anos, quando o PSol não elegeu sequer um deputado distrital.

0 Opinaram:

Postar um comentário