PAC vai expandir o saneamento na Grande Aracaju

| |


Em termos de saneamento básico, os investimentos que serão realizados em Sergipe com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal, algo em torno de R$ 600 milhões, transformarão, da água para o vinho, a fisionomia de Aracaju, capital do Estado, e vários outros municípios vizinhos. Com uma população de 500 mil habitantes, a Grande Aracaju, por exemplo, expandirá sua cobertura de esgotamento sanitário de 40% para 80%, em dois ou três anos. "Ou seja, até 2010 vamos estender para cerca de 400 mil habitantes o atendimento do sistema de esgoto sanitário, que só chega atualmente para menos de 200 mil habitantes", explica Max Maia Montalvão, diretor-presidente da Deso (Companhia de Saneamento de Sergipe).

Segundo ele, Sergipe nunca viu em tempo algum tamanho volume de recursos para serem aplicados em saneamento. "A população tem um sentimento de que as obras são muito importantes e aguarda sua realização com grande expectativa. Não há dúvida de que essas obras representarão um avanço muito grande na qualidade de vida da população", afirma Montalvão. Por isso, adianta ele, os projetos foram selecionados com rigor e discutidos com os prefeitos das regiões que serão atendidas e representantes de órgãos estaduais e federais. "O objetivo é dotar o Estado de uma infra-estrutura suficiente para trazer melhores condições para a população, e também podermos receber dignamente visitantes e turistas de outros Estados e de outros países."

Na área de saneamento, além da ampliação das estações de abastecimento de água, o governo estadual deu bastante ênfase à questão do esgotamento sanitário, uma das maiores deficiência de Aracaju e da maioria dos municípios de Sergipe. Em Aracaju, neste ano, já foram licitadas obras no valor de R$ 80 milhões, através de recursos do PAC, com a contrapartida de R$ 8 milhões do governo estadual. Os projetos começaram a ser delineados em 2007 e algumas obras já estão com ordens de serviço emitidas e outras em fase de contratações. Além dessa ação no município de Aracaju, também serão atendidas várias regiões vizinhas, como a Barra dos Coqueiros, uma área de expansão da cidade, com potencial turístico muito grande, segundo Montalvão, e o município de Nossa Senhora do Socorro. "Também estamos implantando infra-estrutura de saneamento básico em duas áreas bastante carentes de Aracaju, os bairros de Santa Maria e Coqueiral , que são regiões periféricas muito populosas", conta ele.

A Secretaria de Planejamento de Sergipe definiu também as linhas de ações do PAC na calha do Rio São Francisco, para realização de obras de esgotamento sanitário de todas as sedes municipais e alguns povoados da região, num volume de recursos da ordem de R$ 67 milhões. Serão alocados ainda R$ 20 milhões do PAC para obras de esgotamento sanitário em municípios que devem ter entre 50 mil a 150 mil habitantes. Foram listados 25 municípios nessas condições, e as obras de saneamento (distribuição de água e instalação de banheiros públicos) serão realizadas pelas prefeituras, em parceria com a Funasa (Fundação Nacional de Saúde).

Dos R$ 600 milhões previstos pelo PAC para obras de saneamento básico em Sergipe, um total de R$ 200 milhões serão destinados para a construção da barragem e da Estação de Tratamento de Água do Rio Poxim. Mais R$ 20 milhões serão investidos para a ampliação das redes de esgoto e projeto de Revitalização da Bacia do Rio Sergipe, no município de Nossa Senhora do Socorro. Em dezembro, a Deso interligou as Estações de Tratamento João Ednaldo e Poxim através de uma adutora, com cerca de três quilômetros, que será utilizada nos períodos de verão para captação de água do rio São Francisco. "Esta obra deverá proporcionar um aumento da produção e manter inalterada a capacidade de produção do sistema do Poxim nos períodos de seca", diz Montalvão.

Nenhuma das obras está ainda a pleno vapor, mas os canteiros de obras estão sendo rapidamente montados. Em julho, acredita Montalvão, todas as obras já deverão ter sido contratadas. Algumas devem demorar mais de um ano até ficar prontas. A execução dos trabalhos será feita por construtoras locais e de outros estados, e a expectativa é de que só em Aracaju pelo menos 200 trabalhadores sejam empregados quando as obras estiverem no pico de sua realização. Além disso, a Deso esperar fazer cerca de 150 novas contrações de engenheiros e outros técnicos, este ano, para os trabalhos de coordenação e fiscalização. Uma coisa é certa, avalia Montalvão: as obras de esgotamento sanitário que o PAC está financiando devem melhorar o estado do rio Sergipe, que é hoje um rio totalmente poluído. "Vamos desenvolver projetos para drenar toda a bacia."

1 Opinaram:

Anônimo disse...

eu moro no loteamento rosa do sol no bairro santos dumont em Aracaju eu tenho serteza que o prefeito edivaldo nogueira vi resouver este plobema,as ruas do loteamento tão cheia de buracos e não tem pavimentação
gostaria muinto que os orgãos pubicos hohace por nois do bairro Genival de Jesus Aracaju 17/8/2011

Postar um comentário