Depoimento de ex-sequestrador foi destaque de 'Viver a Vida'

| |

Um ex-presidiário roubou a cena segunda-feira (26), com seu depoimento emocionado no final da novela Viver a Vida. Ronaldo Antônio Miguel Monteiro, 50 anos, mostrou a todos que é possível, sim, regenerar-se após uma vida dedicada ao crime. Mas, mais do que isso, provou aos milhares de telespectadores de olho na novela das 20h que basta uma mão estendida para mudar o destino de um homem.

No caso de Ronaldo - ex-traficante, ex-assaltante e ex-sequestrador que ficou preso durante 13 anos -, a ajuda veio de onde menos esperava: de uma de suas vítimas, um industrial que quase foi morto durante um sequestro e um dia o visitou na prisão.

"Esse episódio mudou minha vida. Ele investiu nos meus projetos, acreditou na minha transformação e foi o primeiro a assinar minha carteira de trabalho. Para mim, esse homem simboliza a importância de uma mão estendida, de saber que alguém acredita em você", conta Ronaldo, que já 'estendeu a mão' para cerca de 5 mil detentos, ex-detentos, menores infratores e seus familiares, todos atendidos na ONG Centro de Integração Social e Cultural, fundada por ele em 2002, em São Gonçalo. Aulas de Informática e pré-vestibular comunitário estão entre os cursos oferecidos no local.

Pai de cinco filhos, o homem que apareceu na novela na noite de segunda em nada lembra aquele que ele um dia foi e faz questão de não esquecer: "Os atos que eu pratiquei foram de bastante perigo, mas eu não tenho vergonha do passado. Graças a ele posso ajudar milhares de pessoas nessa situação a terem esperança".

O autor de Viver a Vida, Manoel Carlos, também se impressionou com a história de vida de Ronaldo: "O depoimento foi incrível e repercutiu muito. Recebi mensagens de São Paulo, Bahia, Minas e Rio, claro".

0 Opinaram:

Postar um comentário