Após 4 anos, polícia apura fraude em exame

| |

Alertada de suspeitas sobre concurso para perito no IC em 2005, Corregedoria da Polícia Civil abriu inquérito após reportagem da Folha

A Corregedoria-Geral da Polícia Civil de São Paulo instaurou ontem, quatro anos após ter sido informada oficialmente sobre o problema, um inquérito policial para investigar as denúncias de que o concurso para selecionar peritos para o IC (Instituto de Criminalística) realizado em 2005 foi fraudado por Osvaldo Negrini Neto, o segundo na hierarquia do órgão.

A abertura da investigação foi motivada por reportagem publicada ontem pela Folha.
Negrini Neto, que presidiu a comissão de seleção, é acusado por seis integrantes da banca de vender gabaritos e incluir irregularmente nomes de reprovados na lista de aprovados. À época, 11.632 candidatos disputaram 159 vagas.
O diretor do IC classificou as acusações como "absurdas" e negou ter cometido qualquer irregularidade na seleção.

O mesmo documento entregue à Corregedoria em novembro de 2005 com as acusações de fraude também foi apresentado para o então diretor da Academia da Polícia Civil, Maurício José Lemos Freire, mas nada foi feito.
Em 2005, as acusações contra Negrini Neto não viraram inquérito policial dentro da Corregedoria.

Por esse motivo, o Ministério Público Estadual, que tem o dever de fiscalizar as ações da polícia, não soube dos problemas no concurso, fato que, com o novo inquérito policial, ocorrerá agora.
Naquele período, o caso foi tratado em sindicância interna na Corregedoria e acabou arquivado em sigilo.

Lista

Segundo o documento entregue à Corregedoria em 2005, Negrini Neto publicou no "Diário Oficial" de 2 de novembro daquele ano, sem o conhecimento da comissão do concurso -a mesma que o acusa de fraude-, uma lista com 619 nomes de aprovados -202 a mais do que os 417 que já estavam na primeira lista, publicada em 15 de outubro.
Dos 202 concorrentes da lista suspeita atribuída a Negrini Neto, 180 foram reprovados na prova oral. Os outros 22 foram aprovados no concurso e hoje são peritos do IC -entre eles há dois candidatos mencionados nominalmente na denúncia da comissão como beneficiados por terem recebido pontos a mais na prova escrita.


Seleção de fotógrafos
A seleção para fotógrafos do IC, finalizada em julho deste ano, também é investigada pela Corregedoria por fraude.

Conforme a Folha revelou na segunda-feira, o concurso foi fraudado para beneficiar parentes de diretores da instituição, entre eles o diretor-geral José Domingos Moreira das Eiras. Folha

1 Opinaram:

Notícias disse...

O texto acima dizendo que o Osvaldo, que é meu familiar cometeu atos ilícitos é completamente absurdo!Pois ele é uma pessoa acima de quaisquer suspeitas, por ser idoneo e ter um caráter 100% cem por cento honesto sendo incapaz de cometer quaisquer injustiças
Ele é uma pessoa incrível só faz o bem, é uma pessoa doce, carinhosa, amiga, honesta com um coração enorme.
É um homem generoso, sincero, puro, honesto, trabalhador, digno, honrado que cuida daqueles que precisam dele com muito amor, eu sou prova disso, pois ele para mim é um primo maravilhoso, que sempre teve por todos nós muito amor.
Sempre estendeu a mão quando algum de nós da família dele precisou, nunca disse Não!
É repleto de amigos, por ser uma pessoa maravilhosa! E que sempre trabalhou com muito afinco em prol da justiça, por ele ser muito eficiente gera em algumas pessoas a tão conhecida inveja!
Não estou acusando ninguém de nada! Só estou dizendo que o coração do ser humano hoje é impuro! E que as pessoas esqueceram dos verdadeiros mandamentos de Deus! Primeiro NÃO JULGUEIS!
Então, cuidado com os atos pois Deus esta anotando todas as nossas ações, e irá cobrar na hora do vamos ver diante do Criador!
E quem comete erros, vai pagar! Por que Deus é justo e não tolera este tipo de ação.

Postar um comentário