Empregos na cidade batem recorde

| |

O mercado de trabalho formal bateu recorde em 2009 na geração de empregos em Uberlândia. De janeiro a novembro, foram 8,9 mil novas vagas com carteira assinada, 6% acima do esperado para o ano todo. Isso representa 10% dos 88 mil empregos gerados em Minas Gerais.

Segundo Daisy Afonso, diretora regional do Sistema Nacional de Emprego (Sine), os setores que mais contrataram foram serviços (84,4%), construção civil (5,6%) e comércio (5,3%). "É um saldo muito positivo e um reflexo de que houve pouco impacto da crise mundial em Uberlândia. Enquanto algumas economias perderam espaço, a nossa cresceu", disse. Para 2010, a previsão de crescimento é de 12%, principalmente no ramo de construção civil, que pretende contratar 7 mil profissionais a mais que 2009.

Segundo Paulo Vitiello, vice-presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), a expectativa é que o desenvolvimento do mercado seja ampliado em 2010. De acordo com ele, as micro e pequenas empresas tiveram ascensão notável neste ano e geraram boa parte dos empregos.

Paulo Roberto Ribeiro, presidente do Sindicato da Indústria de Construção Civil do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba (Sinduscon-TAP), disse que 2009 foi bom para o setor, mas a perspectiva é de grande crescimento no ano que vem. "Por causa do programa Minha Casa, Minha Vida, existem mais de 4 mil habitações para serem construídas. Para isso, serão gerados mais de 2 mil empregos. Não vai faltar trabalho na construção civil em Uberlândia", afirmou.

Recém-contratados comemoram ingresso no mercado

A geração de novos cargos e funções beneficiou quem estava ingressando ou procurava recolocação no mercado de trabalho. Diego Quirino da Silva, de 22 anos, foi contratado há 7 meses por uma sapataria. Ele que estava desempregado acredita que o crescimento do mercado influenciou a sua contratação. O sapateiro comemora o novo trabalho. "Estou muito feliz, é bem melhor do que ficar parado", disse.

Paulo César de Souza Júnior, de 19 anos, conquistou em 2009 o primeiro emprego de carteira assinada. Contratado há três meses por uma empresa que atua no setor de outsourcing, o assistente da área de Recursos Humanos comemora o seu novo emprego e o crescimento do mercado. Izabel Moises Ferreira, de 45 anos, buscou recolocação profissional e foi contratada há dois meses por uma empresa de transporte coletivo. "Estou extremamente contente por ter voltado ao mercado", afirmou Izabel, que hoje é auxiliar de tesouraria.

Contratação por setores, em 2009

Caged: Admissão menos desligamento

Sine: Colocados no mercado

Setores - Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) - Sistema Nacional de Emprego (Sine)

EXTRATIVA MINERAL - 0,20% - 0,02%

INDÚSTRIA DA TRANSFORMAÇÃO - 9,97% - 3,25%

SERVIÇOS INDUSTRIAIS DE UTILIDADE PÚBLICA - 0,49% - 0,74%

CONSTRUÇÃO CIVIL - 5,91% - 5,58%

COMÉRCIO - 15,15% - 5,36%

SERVIÇOS - 67,28% - 84,37%

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA - 0,01% - 0,00%

AGROPECUÁRIA - 1,98% - 0,44%

Fonte: Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social de Minas Gerais (Sedese)

0 Opinaram:

Postar um comentário