Tucanos querem CPI para investigar Dirceu

| |


Os líderes do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), e na Câmara, Antônio Carlos Pannunzio (SP), protocolaram ontem, no Ministério Público Federal, uma representação, na qual pedem que a entrevista concedida pelo ex-ministro José Dirceu à revista Piauí seja anexada aos autos do processo do mensalão, em curso no Supremo Tribunal Federal.

Na mesma petição, os tucanos sugerem 10 perguntas a serem feitas a Dirceu, que tem interrogatório marcado para o dia 24, em São Paulo. Ele será ouvido por um juiz federal que depois enviará cópia do interrogatório ao ministro Joaquim Barbosa, relator da ação penal no STF.

Segundo líderes do PSDB, as perguntas podem "contribuir não só para provar cabalmente o mensalão, mas para caracterizá-lo como crime ainda em curso, por meio de uma sofisticada teia de tráfico de influência plenamente operante e articulada com setores do governo brasileiro, inclusive com ramificações no plano internacional".

Perguntas:

Dentre as perguntas sugeridas pelos líderes tucanos estão as seguintes:

Raul Pont recebeu "malas" de dinheiro?

Quem mais recebeu? Qual a origem das malas? Esses recursos foram escriturados na contabilidade do PT?

A que título o réu José Dirceu "acerta" encontro de jornalista português com a presidente da televisão pública brasileira, Teresa Cruvinel?

Qual seria o assunto a tratar?

A reunião já foi agendada?

Ela já ocorreu?

Lula sabia, originariamente, sobre o "mensalão"?

O "mensalão" foi acertado diretamente pelo próprio presidente Lula, inclusive sem ou contra o conselho do réu?

A reportagem com as "invenções", atribuídas ao Sr. Lulinha, se deu ao tempo em que o réu ocupava o cargo de ministro de Estado Chefe da Casa Civil da Presidência da República?

Alguma providência foi tomada?

O que significa a afirmação do réu: "O Lulinha pegava pesado"?

No que o marido da ministra do Turismo, Marta Suplicy, "está se metendo demais", a ponto de desagradar ao réu?

0 Opinaram:

Postar um comentário