Todos queriam ser como o Presidente

| |


Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, há 179 candidatos de nome Lula nas eleições de 2008. Somente no Recife são seis, o maior número de Lulas em uma só cidade: Lula Cal, Lula Beltrão, Lula da CIT, Lula Castro, Lula Barreto, Lula.

Fui conhecer o mais “básico” deles, o Lula, simplesmente.

Luiz Fernandes dos Santos, que um dia poderá ser Luiz Fernandes Lula dos Santos, é candidato a vereador com a cara e o apelido que registrou no TSE. Filiado ao PTdoB, ele tem certeza de que seria vereador de Ibura, caso a eleição fosse por subúrbio. À pergunta sobre se é nascido e criado no local, responde, “corretamente”. Lula substitui o sim pelo “corretamente”, como se respondesse a um teste ou a uma inquisição. O candidato prossegue:

– Na mesma rua em que eu moro, eu nasci e sou criado na mesma comunidade. Lula calcula obter, no momento, 70% dos 3,5 mil votos de que precisará. Mas é quase impossível estabelecer o tamanho de Ibura. Pelos dados do Censo do IBGE, em 2000, a população total somava 43.681 habitantes. Mas há quem fale em 112 mil. A sua área, pelo IBGE de 2000, era de 1.005,7 hectares. Mas houve anexações, outras favelas cresceram no entorno. Todas se autodenominam Ibura. É um dos bairros mais violentos do Recife, noticiam os jornais. Mas nessas notícias a população local não crê. Dizem que jovens de Ibura assassinados em Boa Viagem, o bairro das elites, entram nas estatísticas como se tivessem sido mortos na favela.

O candidato Lula mora com a mulher, dois filhos e a sogra em uma casa de dois quartos. Trabalha em quê?
-Hoje, atual, eu estou numa fábrica de polpa e de suco, na função de auxiliar de produção.
Frase grande e importante. Por isso lhe pergunto se tal emprego lhe dá quatro ou cinco salários mínimos.
- Não,é um salário mínimo. Por incrível que pareça, é um salário mínimo.
Compreendo a recusa de ir a um bar tomar uma cerveja. Ele diz preferir conversar enquanto andamos. Esclareço: o convite é meu. Ele então aceita. Lula está com 39 anos. Instrução?
-Primeiro ano agora, do ensino médio. Eu fui desistente na sétima série, aí voltei a estudar novamente.
Sobre o outro Lula, o presidente, afirma:
- E uma pessoa muito simples, assim, e popular, não é?Até a forma dele falar, está certo?
A respeito de propostas, bandeiras de luta.
- Bandeiras, como assim? - pergunta. O candidato defende as necessidades pobres dos pobres. Alguns dos oito pontos de sua plataforma de campanha:
Item 3: Vamos fundar uma sede, ou mais de uma sede, para o time ou os times do nosso bairro. E nessa vai ganhar uma mobília de uma geladeira ou freezer, um fogão a gás, mesas com cadeiras, uma sinuca, uma tábua de dominó com dominó, uma televisão de 20 polegadas com antena Sky. Para jogo marcado fora do bairro fornecerei o transporte, uniforme completo, água com gelo, em todos os jogos, laranjas, cartões vermelho e verde, bola.
E para cada jogo em participação em torneios um presente para cada gol marcado por cada jogador, tipo um incentivo.
Item 4: Os peladeiros também vão ter totalmente apoio. Uniformes, bola, apito, cartões vermelho e verde, água e gelo, laranja.
Como sempre acontece com gente do povo, que não tem a experiência da escrita, o candidato é melhor e mais eloqüente quando fala.
- Você é candidato pra fazer o quê, em primeiro lugar?
- Uma ambulância pra minha comunidade, ou então um carro pra transporte emergencial. Isso está faltando muito. A comunidade está carente muito disso aí. Tanto a ambulância quanto melhorar os postos médicos, está certo? Na minha comunidade e no Jordão Baixo o posto é um descaso. Nas reuniões em que eu tenho conversado com os meus eleitores, reclamam que o atendimento médico está péssimo, explica.
E continua:
- E quero criar também uma área para atividade esportiva, na comunidade, pra tirar as crianças da rua, e os jovens também. Estou tendo também agora um acompanhamento com um colega mais velho, para criarmos uma escola de música. E fundar uma associação em nosso bairro, pra dar um ritmo comunitário, pra tomar conta da nossa comunidade, que está carente também disso.
Quanto à associação com o apelido do presidente da República, o candidato diz sem rodeios:
- O secretário do PtdoB me disse: "Nós temos um homem na Presidência que é Lula, e você também é Lula. Nós temos Lula lá, e vamos ter Lula cá". Foi assim.
A isso o Lula de Ibura junta razões de sonho, que como todo sonho omite o processo áspero e de conflito de toda uma vida, para ir direto aos resultados. Ele se vê como um novo Lula, o presidente, ele guarda as semelhanças, ainda que remotas, e as transforma em identidade:
- Quando surgiu o nosso presidente da República, que veio do nada, como eu, conforme eu estou indo também, se Deus permitir, eu pretendo chegar lá...
- Você sonha então em um dia ser presidente da República?
- Corretamente. Se Deus quiser.
- Mas você é uma pessoa calva, está com uma calvície ...
- Corretamente.
- E não usa barba. Vai usar barba?
- Pediram a mim. Por que eu não usaria barba, agora que estamos coligados com o PT, e meu apelido é Lula? E agora é Lula também na candidatura. Aí pediram a mim. Como pediram a mim pra ser candidato, pediram também pra eu deixar a minha barba crescer. Estou pretendendo. Mas antes desta eleição eu já usei barba, bigode ... até em festa, gente que nem me conhecia, me dizia "você parece com o presidente Lula".
Enquanto sonha com o Planalto, Lula, o candidato, toca sua campanha, de porta em porta, sem dinheiro.
- Mas tenho grande popularidade, 3.500 votos é muita coisa. Inclusive o povo já está saturado, estressado com os políticos antigos, que prometem e não cumprem. Só aparecem na eleição - discursa.
Em um papel impresso, com tinta clara e baça, faz uma pesquisa de opinião. Na sexta pergunta, pede que o eleitor responda de onde conhece Luiz Fernandes, ele, o Lula. Opções? a) Por sua atuação no bairro moralmente; b) Por sua atuação no bairro no pape1.de vizinho; c) Outros.
No fim, Lula, o candidato, quer saber:
- O presidente Lula vai ver essa entrevista?
- Não sei, Lula. Talvez.

0 Opinaram:

Postar um comentário