Picolé de chuchu começa a derreter

| |



Quando surgiam indicações de que a candidatura do ex-governador Geraldo Alckmin à prefeitura paulistana tinha parado de cair na preferência do eleitorado, a última pesquisa do Instituto Datafolha acaba de jogar um balde de água fria na campanha do tucano. Alckmin caiu dois pontos, de 24% para 22%, e o prefeito demista candidato à reeleição Gilberto Kassab subiu dois pontos, de 16% para 18%. Está empatado tecnicamente com o pessedebista, e com chances de suplantá-lo no próximo levantamento.

A situação do tucano é tão grave que começam a surgir boatos de que ele abandonaria a candidatura. São apenas boatos, mas o simples fato de estar exposto a tais intrigas já indica a fragilidade da campanha alckmista. Não se sabe se a boataria partiu do grupo ligado ao prefeito Gilberto Kassab, a quem mais interessa a desistência do candidato do PSDB, ou da turma da petista Marta Suplicy, que prefere enfrentar Kassab a Alckmin no segundo turno.

Geraldo Alckmin pode voltar a subir, com uma condição: mudar todo seu estilo de fazer campanha. Ele tem menos de 30 dias para virar o jogo e conta com mais de um governo do Estado para mostrar que é melhor administrador do que Gilberto Kassab. E mais: deve partir para cima do adversário do DEM, mostrando que ele é dependente do próprio PSDB e não tem a envergadura política de um ex-governador de São Paulo. Caso contrário sua candidatura vai derreter antes do dia 3 de outubro.

1 Opinaram:

Victor Zacharias disse...

Alckmin fala bem do Lula.

Quem esperava essa?
Adorei ver o Alckmin desesperado falando em sua campanha: O Lula tudo bem.
Risos, é demais, agora o decadente Alckmin fala bem do Lula? Rsrs
Vai entender a falsidade tucana, porque quando ele perdeu a eleição para presidência para o Lula ele falava isso:

Em entrevista para correspondentes estrangeiros no Rio, Alckmin reiterou que vai para o segundo turno e disse que Lula tem um grande nível de rejeição entre o eleitorado. O tucano voltou a dizer que Lula passa por uma crise de credibilidade. “No primeiro turno, é quem eu quero. E no segundo, é quem eu não quero”, respondeu ao afirmar que muitos eleitores votam no segundo turno para eliminar o candidato que não quer. “A popularidade varia. O mais importante na política é a credibilidade. E ela foi corroída [pelo PT]”.

Credibilidade?
Abs

Victor

Postar um comentário