Fanáticos pelo microfone

| |


Em 14 de agosto passado, o deputado Mauro Benevides (PMDB-CE) interrompeu um discurso de Eduardo Valverde (PT-RO) para elogiar as palavras do colega sobre a polêmica em torno da demarcação da reserva indígena Raposa Serra do Sol. “Para mim é uma honra ser aparteado por Vossa Excelência”, respondeu o petista. Talvez, naquele momento, os dois, distantes das decisões relevantes da Câmara, não soubessem que terminariam o ano como os campeões do microfone em 2008.

Excluindo o presidente da Casa, Arlindo Chinaglia (PT-SP), que fala muito pois preside as sessões, Benevides e Valverde lideram o ranking dos deputados que mais discursaram da tribuna do plenário, deram palpites nas falas de colegas, entre outras maneiras de manifestação oral, segundo levantamento do departamento de taquigrafia. O peemedebista aparece com 476 participações (mais de uma intervenção por dia), quase o dobro do petista, que atingiu 281 discursos.

Um dos mais antigos parlamentares em atividade no Congresso, Benevides, 78 anos, é figura carimbada nas tradicionais sessões vazias às segundas e sextas-feiras. Ele já presidiu o Senado entre 1991 e 1993, período turbulento por causa do processo de impeachment do então presidente da República, Fernando Collor de Mello. Com o passar do tempo, o congressista deixou de ser protagonista das decisões políticas, mas não abandonou o plenário. Somente no último dia 16, por exemplo, pronunciou-se quatro vezes, tratando de temas nacionais e também regionais. Foi o que também ocorreu em 1º de dezembro, quando elogiou a criação de um banco comunitário no bairro do Pirambu, em Fortaleza.

Já Eduardo Valverde está no segundo mandato e ainda busca um espaço político no Congresso. É um soldado do PT para assumir causas polêmicas que lideranças preferem não encarar publicamente. O deputado aproveita as sessões para tentar mostrar que entende de tudo um pouco. Em 11 de dezembro, falou de CPI do Aborto, Raposa Serra do Sol e trabalho rural. Dois dias antes, usou o microfone por nove vezes.

Logo atrás dele, surge um deputado polêmico e experiente: Inocêncio Oliveira (PR-PE), com 261 manifestações. Famoso por permanecer há anos na Mesa Diretora, Inocêncio costuma fazer companhia a Benevides nas sessões vazias de início e fim da semana, sendo que, muitas vezes, as preside.

Líderes

Na mesma fila, aparecem os líderes partidários, responsáveis por orientar suas bancadas nas votações. ACM Neto (BA), líder do DEM, registrou 261 participações e o líder do PPS, Fernando Coruja (SC), falou por 229 vezes. A relação mostra ainda no topo ex-líderes, como José Carlos Aleluia (DEM-BA), com 228 pronunciamentos, e Chico Alencar (PSol-RJ), autor de 221 discursos.

O levantamento da Câmara revela também o retorno político de José Genoino (PT-SP) aos trabalhos legislativos. Numa postura discreta desde 2005, quando , o petista foi o 13º deputado que mais se manifestou entre os colegas, com 193 discursos. O líder do governo, Henrique Fontana (PT-RS), aparece em 15º lugar na lista.


Presença na tribuna

Levantamento da Câmara revela os parlamentares que mais falaram nas sessões do plenário este ano.

Deputado - Discursos

1 - Arlindo Chinaglia (PT-SP)* 755
2 - Mauro Benevides (PMDB-CE) 476
3 - Eduardo Valverde (PT-RO) 281
4 - Inocêncio Oliveira (PR-PE) 263
5 - ACM Neto (DEM-BA) 261
6 - Duarte Nogueira (PSDB-SP) 233
7 - Fernando Coruja (PPS-SC) 229
8 - José Carlos Aleluia (DEM-BA) 228
9 - Chico Alencar (PSol-RJ) 221
10 - Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) 218


Chinaglia aparece em primeiro lugar apenas por ser o presidente da Câmara e comandar as sessões


Temas mais abordados

Pesquisa mostra o que foi mais citado pelos deputados nos discursos feitos em 2008.

Assunto - Referências

1 - Luiz Inácio Lula da Silva 911
2 - Saúde pública 796
3 - Educação 703
4 - Transporte 397
5 - Reforma tributária 342
6 - Mulher 322
7 - Segurança Pública 210
8 - Orçamento da União 195
9 - Corrupção 146
10 - Reforma Política 146


Lula é o alvo preferido

A alta popularidade do presidente Lula não é só nas ruas. É também no plenário, embora muitas vezes para receber críticas dos partidos de oposição. O presidente foi o principal tema tratado pelos deputados nas 1.023 horas de sessões plenárias durante o ano. Segundo o levantamento do departamento de taquigrafia da Câmara, Lula foi citado em 911 discursos de parlamentares. Não há, no entanto, uma divisão sobre o que foi dito a favor ou contra o presidente.

Logo atrás, surgem com 796 referências, a Saúde, e a Educação, com 703. Em quarto lugar, estão as discussões sobre os Transportes, com 397. A tão prometida Reforma Tributária ficou em quarto lugar, com 342 citações. A proposta se arrasta há anos no Congresso. Em 2008, deveria ter sido votada, mas, por falta de acordo, ficou para o ano que vem e aparece como uma das prioridades dos deputados para os primeiros meses de trabalho legislativo.

Sempre em pauta quando há crimes explorados pela mídia, a segurança pública foi assunto abordado 210 vezes, seguida pelo recém aprovado Orçamento da União, sendo que esse último ganha força sempre nas sessões de fim de ano.

Na mesma relação, estão inseridas discussões sobre a proposta de reforma política e temas ligados à corrupção, ambos com 146 referências cada.

0 Opinaram:

Postar um comentário