Coser desiste e palanque capixaba vai reunir PT e PMDB

| |


O prefeito de Vitória, João Coser (PT), um dos nomes mais fortes entre os possíveis candidatos à sucessão do governador Paulo Hartung (PMDB) em 2010, desistiu de entrar na disputa e declarou seu apoio à candidatura do vice-governador Ricardo Ferraço (PMDB). Coser disse ao Valor que abriu mão da candidatura atendendo a um apelo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a favor do fortalecimento da aliança com o PMDB, considerando que a prioridade é o projeto nacional de eleição da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência da República.

O prefeito, no entanto, disse que não concorda com a ideia do governador Hartung de ficar fora das eleições de 2010 para levar até o fim o seu mandato no governo do Estado. Conforme o Valor publicou na última segunda-feira, Hartung disse ao presidente Lula que sua preferência é por levar o mandato até o fim, sob o argumento de que essa sua postura contribuiria para manter unidas as forças políticas que o apoiaram nas eleições para dois mandato no comando do executivo capixaba (2002 e 2006).

"Acho que o Paulo (Hartung) tem muito a contribuir (na processo sucessório), mas se ele ficar no governo do Estado não contribui para nada", disse Coser e acrescentou: "Tenho convicção que ele vai continuar cumprindo o seu papel que, no meu entender, será no Senado". Lula já havia dito a Hartung que sua candidatura ao Senado em 2010 era importante no tabuleiro sucessório.

Reeleito em 2006 com 77,27% dos votos válidos no primeiro turno, a maior votação percentual do país para o cargo, o governador do Espírito Santo é tido como um puxador de votos imbatível, daí o inconformismo do PT com sua possível desistência de disputar uma cadeira no Senado em 2010.

Já a desistência do prefeito de Vitória, atual presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) e também reeleito no primeiro turno, em 2008, com 65% dos votos válidos, praticamente deixa o caminho aberto para a candidatura de Ferraço, até hoje o único pré-candidato a receber o apoio público de Hartung. O terceiro nome do bloco situacionista seria o do senador Renato Casagrande (PSB), cujo mandato só termina em 2014 e que, teoricamente, não teria muito a perder abrindo mão de disputar o governo do Estado agora, especialmente se o seu partido não tiver candidato à Presidência.

Com Coser declarando apoio a Ferraço, o único nome do grupo que se uniu para eleger e reeleger Hartung, um leque que vai do PT ao PSDB, que deve ir para a oposição é o do deputado federal Luiz Paulo Vellozo Lucas (PSDB-ES). Ele já declarou que será candidato, mesmo mantendo-se fiel ao programa que elegeu Hartung, para assegurar um palanque no Estado para o candidato tucano à Presidência, provavelmente o governador de São Paulo, José Serra.

Dado o histórico de aliança entre as partes que estarão em disputa, o prefeito de Vitória disse esperar uma disputa cordial no Estado em 2008. Mas Ferraço e Vellozo Lucas, que são concunhados (casados com duas herdeiras do poderoso Grupo Água Branca, do setor de transporte), brigaram publicamente em 2008 no episódio que levou à saída do vice-governador do PSDB. O deputado o acusou de traição por ter apoiado candidatos de outros partidos nas eleições municipais. O prefeito de Vitória foi seguido na sua declaração de apoio a Ferraço pelos prefeitos petistas de outras importantes cidades capixabas, entre elas Cariacica, Colatina e Castelo. Coser disse que o PT vai pleitear o lugar de vice na chapa, cargo que ele afirmou não ter interesse em disputar.

1 Opinaram:

Anônimo disse...

Juliana, "puchadores de votos" como o Paulo Hartung e o Coser precisam ser usados pra dar maioria bem folgada à governalidade do governo DILMA. Paulo Hartung deveria ir ao Senado e o Coser pra Câmara, pra melhorar a bancada PT?PMDB.

Postar um comentário