A campanha vai começar

| |

O PT vai reunir seu diretório nacional nesta quinta-feira para começar a analisar a criação de um Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE) para cuidar da pré-campanha da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência da República. São vários temas que esse grupo abordará: planejamento de captação de recursos, sistema de pesquisas pré-eleitorais, alianças nos estados.

A ideia é criar um grupo que tenha peso político, com a presença de nomes de expressão dentro das tendências partidárias e fora delas, como o ex-presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, pelo movimento PT, e Antonio Palocci (PT-SP), que os petistas de uma forma geral estão ávidos por ver reabilitado. Também serão chamados os ex-prefeitos de Belo Horizonte Fernando Pimentel; de Recife João Paulo; e de São Paulo Marta Suplicy, que já vinham há alguns meses cuidando dessa etapa da campanha.

A intenção do PT ao criar esse grupo é sair de dois dilemas. O primeiro é saber quem vai trabalhar de fato dentro do partido pela candidatura da ministra nessa fase. O problema é que a maioria dos petistas está hoje voltada ao processo de eleição direta (PED), como eles se referem ao período de campanha pelo comando partidário municipal, estadual e federal.

A eleição está marcada para 22 de novembro. Ou seja, num momento em que todos os demais partidos estão se movimentando em busca de alianças para 2010, o PT estará parado cuidando do próprio umbigo. Daí a necessidade de ter pelo menos um grupo voltado à essa missão com a ótica do PT, para não deixar que tudo seja resolvido pelo presidente Lula, no papel de magistrado que, na visão dos petistas, é capaz de deixar o próprio partido a ver navios para agradar outras agremiações, em especial, o PMDB. Fez isso, por exemplo, ao deixar a relatoria do projeto de partilha do óleo do pré-sal nas mãos do líder peemedebista, Henrique Eduardo Alves (RN). O PT não está disposto a perder outras batalhas na sucessão.

O outro dilema que o PT pensa em resolver e logo é a própria candidata. A criação do GTE - os petistas amam uma sigla! - ajuda a exorcizar alguns fantasmas que ainda povoam o imaginário popular e até mesmo de alguns petistas que duvidam de que Lula queira mesmo fazer de Dilma Rousseff a sua representante empunhando a bandeira do PT na corrida presidencial de 2010.

Ora, Lula não tem outro nome a quem recorrer neste momento, a não ser que faça um movimento mais ousado no sentido de deslocar Jaques Wagner da Bahia ou Marcelo Déda de Sergipe, ou um Patrus Ananias do Ministério do Desenvolvimento Social. Antonio Palocci, por mais que tenha sido absolvido, só emplacaria de tivesse o caseiro de candidato a vice na chapa, como brincam os petistas que não gostam de Palocci.

Até agora, Lula não demonstrou em momento algum que deseja trocar Dilma por outro nome. Por isso, ao criar um grupo de trabalho para cuidar da campanha dela, o PT também passa a cuidar desse assunto - e da candidata - como fato consumado. Assim, se houver alguma mudança lá na frente e, para alguns petistas essa esperança é a ultima que morre, será por acidente de percurso e não uma ação premeditada, do tipo "Dilma nunca foi a candidata e agora chegou o verdadeiro nome".

Assim, enquanto o GTE cuidará da pré-campanha partidária, o presidente Lula faz seu papel de cuidar da promoção da candidata de fato. Revigorada pelas férias depois do banho de pré-sal do fim de agosto, Dilma voltou a desfilar ontem ao lado do presidente em Roraima. E dá-lhe anúncio de obras.

Por falar em pré-sal.

O PT criou um adesivo que seus deputados e senadores usam na lapela. Está escrito em letras brancas sobre um fundo vermelho: "O pré-sal é nosso". Abaixo da inscrição, a sigla do partido saindo de um prisma verde e amarelo. Alguns integrantes do partido chegaram a brincar, dizendo que a dubiedade é ensaiada: o pré-sal é nosso, dos brasileiros, ou o "nosso", seguido da sigla PT quer dizer que ele é do Partido dos Trabalhadores? É óbvio que o pré do Brasil. Mas a vinculação ao PT, num adesivo que de inocente não tem nada, é sinal que o grupo de marketing do partido está firme e forte no sentido de jogar a dúvida no ar. Veja a foto do adesivo no blog da Denise no www.correiobraziliense.com.br

0 Opinaram:

Postar um comentário