É "genial" Lula receber iraniano, diz Mujica

| |

O candidato governista à Presidência do Uruguai, o senador José Mujica, afirmou ontem, em Montevidéu, achar "genial da parte de Lula" o fato de o presidente brasileiro ter recebido nesta semana a visita oficial do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad..

"É um erro encurralar [Ahmadinejad]", disse Mujica, 75, argumentando que essa é uma lição que aprendeu com a vida. Ex-guerrilheiro Tupamaro, ele passou 14 anos preso, dois dos quais incomunicável.

Ontem, ele voltou a citar Lula como seu modelo, algo que fez reiteradas vezes durante a campanha no primeiro turno. Mujica afirmou ainda que sua proposta para governar "se resume à imagem de Lula, esse cara excepcional em negociação e diálogo".
Vencedor do primeiro turno, o candidato esquerdista não tem dúvidas sobre sua vitória, como deixa entrever em entrevista à Folha, a seguir.

Ele afirma que "dormir o máximo possível" é o seu plano para o dia seguinte à eleição, mas disse que não "cometerá o erro de dormir em casa". No primeiro turno, no dia seguinte ao resultado, Mujica despertou com a imprensa à sua porta e fez ríspidas declarações, nas quais comparou seu adversário, Luis Alberto Lacalle, ao ditador espanhol Francisco Franco, pelo fato de Lacalle haver afirmado que a "providência" o impediu de vencer no primeiro turno."Não tivemos disputas de caráter fratricida, mas, se falamos demais, pedimos perdão".

FOLHA - O presidente Lula está sendo criticado por haver recebido no Brasil o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad. Qual sua opinião sobre essa atitude?

JOSÉ MUJICA - Achei genial da parte do Lula. Quanto mais se fizer um cerco ao Irã, tanto mais será pior para o mundo inteiro. O que Lula está fazendo é algo que me parece notavelmente inteligente. A vida me ensinou que não se deve encurralar. É um erro encurralar. Quem encurrala obriga [o outro] a lutar. Napoleão dizia: "Quando tenho uma fortaleza sitiada, deixo uma rota de escape. Isso me sai mais barato". O mundo não precisa de guerras. Precisa de saídas.

FOLHA - O sr. afirmou ter enviado a Lula um recado, por intermédio do presidente do PT no Rio Grande do Sul, Olívio Dutra, que o visitou nesta semana. Qual foi o recado?

MUJICA - Mandei a Lula uma mensagem de companheirismo e de esperança. E de que nós certamente vamos precisar de algum tipo de apoio da parte dele.

FOLHA - O sr. imagina que governará o Uruguai tendo a ministra Dilma Rousseff como contraparte no poder no Brasil?

MUJICA - Tomara que sim. Mas esse é um problema do povo brasileiro.

0 Opinaram:

Postar um comentário