PSDB diz que vai manter aliança com DEM

| |

Com o DEM como aliado preferencial, o PSDB procura limitar ao Distrito Federal o escândalo da existência de suposto esquema de propina e de caixa 2 envolvendo o governador José Roberto Arruda (DEM), sem abalar a aliança nacional. Os tucanos identificam como "gravíssimos" os fatos revelados até agora pela operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, envolvendo o governador, com um flagrante de recebimento de dinheiro, e consideram insustentável a permanência de Arruda no partido, mas o compromisso eleitoral com o DEM, que se repete desde a eleição de 1994, será mantido.

"Em relação à aliança, o DEM será um dos principais aliados no ano que vem", afirmou o deputado Edson Aparecido (PSDB-SP), vice-presidente do PSDB.

"Ficou clara na reunião da Executiva na terça-feira passada que a aliança está preservada. Esse é um sentimento tanto do PSDB quanto do DEM. A questão está razoavelmente administrada", afirmou.

Para Aparecido, o PSDB tomou a decisão correta de retirar os tucanos do governo Arruda e abrir procedimento no Conselho de Ética do partido contra seus integrantes citados na Operação Caixa de Pandora.

O escândalo derrubou o presidente do PSDB-DF, Márcio Machado, autor de uma planilha com o nome de 41 empresas que teriam sido abordadas para fazer doação à campanha de Arruda, ao lado de valores que somam R$ 11 milhões. O PSDB também tinha dois integrantes no primeiro escalão do governo do Distrito Federal.

Mesmo evitando interferir em questão interna do DEM, os tucanos entendem que Arruda não poderá continuar no partido, caso contrário haverá uma contaminação do processo eleitoral. "O episódio se circunscreve a Brasília e não impacta a aliança, mas não há como sustentar a presença dele em partido tão importante para a aliança nacional", afirmou o líder do PSDB na Câmara, José Aníbal (SP). Na bancada tucana, há segurança de que o DEM expulsará Arruda esta semana.


CRONOLOGIA

27/11:

Deflagração

PF deflagra a operação Caixa de Pandora. Escutas flagram o governador do DF, José Roberto Arruda (DEM), orientando seu
secretário, Durval Barbosa, sobre a distribuição de propina
a parlamentares e integrantes do governo.

28/11:

Panetones

Vídeo de 2006 mostra Arruda recebendo R$ 50 mil de Barbosa. Aliados dizem que o dinheiro era para a compra de panetones.

29/11:

Dinheiro na meia

Gravação mostra o presidente da Câmara, Leonardo Prudente, guardando dinheiro na meia.

30/11:

Oração da propina

Em imagens, o deputado Rubens Brunelli (PSC), Barbosa e
Prudente oram depois de receber dinheiro.

1º/12:

Dinheiro na cueca

Em vídeo, empresário Alcyr Collaço põe dinheiro na cueca.

3/12:

Crise atinge PMDB

Em gravação, Collaço fala a Barbosa de propina a
membros do PMDB, incluindo o presidente da Câmara,
Michel Temer (PMDB-SP).

4/12:


Caixa 2

Estado revela suposta planilha de caixa 2 da campanha de Arruda. Câmara do DF aceita dois pedidos de impeachment contra Arruda.

5 e 6/12:

Fortuna

Tribunal de Contas do DF afasta Domingos Lamoglia por suspeita de envolvimento. Estado revela que o patrimônio de Arruda cresceu 1.060% em sete anos.

1 Opinaram:

JBmartins disse...

Não tem outra coisa a fazer, olha, o Dem esta se tornando em um nano partido, Arruda ameaçou se matar(abrir a boca), resolveram então antes de respingar em todos, o Dem não expulsa Arruda e o PSDB abraça do Dem que sabe muito de Serra e Aecio.

Postar um comentário