Lula defende importância da liberdade de imprensa

| |

O presidente Lula  criticou ontem, sem citar as respectivas associações, os empresários ligados a Associação Nacional dos Jornais (ANJ) e a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) que boicotaram a 1ª Conferência Nacional de Comunicação, no Centro de Convenções, em Brasília. "Lamento porque alguns empresários não quiseram vir participar desse encontro, um espaço próprio para expor suas ideias e defender seus pontos de vista".

Lula também afirmou ser um defensor da liberdade de imprensa e voltou a repetir o argumento de que os excessos praticados pelos veículos de comunicação serão julgados pelos telespectadores, ouvintes ou leitores. "Os jornais apuram e deixam de apurar o que querem, publicam e não publicam o que desejam. Eu nunca interferi nessa liberdade".

O presidente disse que alguns veículos às vezes se excedem, divulgando inverdades ou disseminando calúnias. "Mas tenho certeza de que, cada vez mais, a população está preparada para separar o joio do trigo, porque quem não tem respeito pela inteligência do cidadão, acaba perdendo leitores", afirmou Lula.

Lula cobrou que os candidatos à Presidência em 2010 incluam o tema em seus programas. "Devemos voltar a incluir a questão da comunicação social na agenda do país e tornar irreversível seu debate aberto, público", afirmou.

O presidente fez um longo discurso mostrando a evolução dos meios de comunicação até os dias atuais, com o advento da internet. Citou os blogs e as rádios comunitárias como exemplos de democratização da comunicação. Alertou que muitas pessoas pedem autorização para ter uma rádio comunitária, em nome da associação de moradores, mas, na verdade, representam os mesmos políticos tradicionais que dominam atualmente o setor.

Lula também defendeu que os meios de comunicação não sejam dominados por um monopólio ou por oligopólio. O presidente agradeceu o esforço dos ministros Franklin Martins (Comunicação Social), Luiz Dulci (Secretaria Geral da Presidência) e Hélio Costa (Comunicações) para a realização do evento.

Costa, no entanto, foi bastante vaiado durante seu discurso. Segundo , os manifestantes acreditam que o ministro das comunicações "trabalhou contra" a realização do Congresso. Aos gritos, eles agrediram verbalmente o ministro. "Ô Hélio Costa, que papelão, o empresário é o seu patrão"!

0 Opinaram:

Postar um comentário