Da 'oração da propina' às ondas da Casa da Bênção FM

| |

Um dos símbolos do escândalo do mensalão do DEM em Brasília, o ex-deputado distrital Rubens Brunelli (PSC), o parlamentar que puxou a famosa "oração da propina", exemplifica com perfeição a ligação de políticos locais com as rádios comunitárias. A mãe do ex-deputado, Ruth Brunelli, aparece como principal proprietária da Associação Casa da Bênção, que mantém rádio de mesmo nome em Taguatinga, cidade satélite do DF.

Brunelli renunciou ao mandato para escapar da cassação, depois que foi divulgado um vídeo em que ele e o também ex-deputado Leonardo Prudente (DEM-DF) pedem vida longa e proteção para o secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, pivô do escândalo que levou o governador José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM) para a prisão. Barbosa é o pivô do escândalo - ele gravou a coleta e distribuição de propinas no governo Arruda.

A rádio de Brunelli funciona ao lado da Catedral da Bênção, templo com capacidade para até 6 mil fiéis, que abriga propaganda do ex-deputado. Um painel com fotos do ex-distrital, em obras e ações no bairro, enfeita a lateral da igreja com o slogan: "Deputado Brunelli em ação: Justiça Social e Trabalho."

A emissora Casa da Bênção está no ar há sete anos. Sua antena fica no alto da Torre da Oração, um edifício de cinco andares contíguo à igreja. O estúdio fica no segundo andar da torre e de lá são transmitidos cultos e música gospel.

A reportagem do Estado esteve na Casa da Bênção na última quarta-feira, mas foi impedida de visitar o estúdio por fiéis revoltados com o envolvimento, que consideram injusto, de Brunelli no escândalo do "mensalão do DEM". "Estamos na defensiva. Não vamos falar nada", avisou, logo na recepção do templo, o pastor Heilor Messias.

lRádios comunitárias
São pequenas emissoras FM de alcance limitado a 1 km a partir de sua antena. Não podem ter fins lucrativos nem vínculos com partidos políticos e instituições religiosas.

lRádios comerciais
As outorgas são precedidas de um processo licitatório. Podem vender espaço publicitário. Seu raio de abrangência é maior e precisam ser aprovadas pelo Congresso.

l Rádios educativas
Dispensam licitações e podem ser autorizadas pelo Ministério das Comunicações. Realizam transmissões sem fins comerciais.

0 Opinaram:

Postar um comentário