Cabral

| |

O governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho (PMDB), defendeu ontem que o Congresso Nacional proíba a apresentação de emendas individuais por parlamentares na tentativa de reduzir a possibilidade de esquemas de corrupção. Segundo ele, com a manutenção das emendas feitas pelas bancadas de cada Estado o processo ficaria mais transparente e organizado, porque obrigaria os parlamentares a terem visão estratégica. "Essa é uma proposta inteligente. A emenda individual é sempre complicada. Com o fim dessas emendas acabaria o toma lá, dá cá", disse Cabral depois de participar de ato pela mobilização do Estado de Minas Gerais em apoio à campanha "Vote no Cristo. Ele é uma maravilha!" promovido pela Associação Comercial do Rio de Janeiro e o Grupo Bradesco de Seguros e Previdência. Questionado sobre a instalação de uma possível CPI para investigar o esquema descoberto pela Polícia Federal Cabral preferiu não dar opinião. "Eu não estou mais no Congresso para avaliar. Já tem muitos problemas aqui no Rio". O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, também presente a cerimônia, disse que é o mais importante neste momento é que as apurações continuem. "É hora de muita serenidade, mas de muita liberdade para que as apurações continuem. É algo (Operação Navalha) que chamou a atenção do país pelas pessoas envolvidas. É uma questão que o Brasil acompanha com muita expectativa".

0 Opinaram:

Postar um comentário