Veja e a pergunta idiota

| |


Nesta semana, a revista entrevistou Guido Mantega, Ministro da Fazenda. No início do “papo”, a Veja veio com aquela conversa de que o Plano Real é do PSDB - quando, na verdade, é do Itamar (ou, pra quem quer ser caxias, do Pérsio Arida e do Edmar Bacha). Não é do PSDB. FHC apenas assinou, como ministro indicado pelo Presidente de então - e resolveu brincar de “eu sou o pai de criação”.

Deixa assim.

Lá pelas tantas, a revista faz uma pergunta pra lá de estapafúrdia:

“Veja – Não é curioso o fato de o presidente Lula não ter um candidato para suceder-lhe num momento em que a economia está indo de vento em popa?”

Essa pergunta, um tanto idiota, nos traz duas outras indagações: a) quem era o candidato de FHC no primeiro ano de seu segundo mandato? b) por que, em nome da reeleição, FHC demorou para dar um jeito no câmbio e permitiu que nossa economia fosse para o vinagre (e nele estivesse em tal período)?

Aliás, mais uma perguntinha: QUEM ERA O CANDIDATO DE FHC MESMO NO QUARTO ANO DO SEGUNDO MANDATO? Apoio ao Serra, por exemplo, ele só deu o mínimo, quase que protocolar.

Eita, ferro!

E não, “Veja”, não é “curioso” o fato de um Presidente não ter candidato neste ou naquele momento. Curioso - e antiético - seria o contrário. Talvez seja isso: a revista tentou cavar uma politicagem, pegando Mantega na curva, e a tática foi um furo n’água. Mas, não. Eles não chegam a esse ponto. Eles não tem sofisticação alguma e, acima de tudo, são subservientes aos chefes. Não há autonomia para esse tipo de coisa.

O pessoal costuma falar que o leitor da revista é idiota… Mas e quem escreve lá, hein? Jesus! -0Imprensa Marrom

0 Opinaram:

Postar um comentário