Fluxo cambial recorde faz dólar cair 1,07%

| |


A entrada de moeda estrangeira no país fez a cotação do dólar cair 1,07% ontem, quando foi vendido por R$ 1,75 no final do dia. É o menor valor de fechamento desde 16 de novembro. O fluxo cambial (entrada e saída de dólares no país) terminou 2007 com resultado positivo de US$ 87,454 bilhões, o maior da série histórica iniciada em 1982. Conforme dados divulgados pelo Banco Central (BC), o número é a soma de US$ 76,746 bilhões da conta comercial e do ingresso de US$ 10,708 bilhões no fluxo financeiro.

A abundância de capital estrangeiro no país e as incertezas sobre a economia americana fizeram com que o real praticamente dobrasse de valor em relação ao dólar nos últimos cinco anos, com uma alta de 99,5% entre 2003 e 2007. Só em 2007, a moeda brasileira subiu 20,7%, a segunda maior valorização da história da economia brasileira. Até então, o momento de maior valorização do real ante o dólar havia sido em 2003 – 22,3% de alta. O dólar à venda no Brasil passou de R$ 3,53 em 2002 para R$ 1,77 no dia 31 de dezembro de 2007. As informações são de estudo realizado pela empresa de informações financeiras Economática.

Petróleo
Os preços do petróleo passaram pela primeira vez dos US$ 100 ontem, em Nova York, após uma forte queda dos estoques dos Estados Unidos, maior consumidor mundial de energia. O barril do light sweet (leve e suave) chegou a US$ 100,09, um recorde absoluto. No fechamento recuou para US$ 99,18, em queda de US$ 0,44. “Houve realizações de lucro”, afirmou Antoine Halff, analista da NewEdge group.

Segundo rumores, o recorde quarta-feira (R$ 100) pode ser explicado, não por fundamentos do mercado, mas pela vontade de um operador independente de entrar para a história. Segundo comentários que circulam pela Bolsa Mercantil de Nova York, Richard Arens (um investidor que trabalha para seu próprio gabinete, o ABS), ofereceu US$ 100 mil por um lote de 1 mil barris, o volume mínimo que se pode comprar. Em seguida, ele revendeu o pacote com prejuízo de US$ 600 a outro investidor independente.

Apesar do fato pitoresco, o barril continua próximo dos US$ 100 e provocando dúvidas sobre uma possível recessão nos Estados Unidos. Por isso, o mercado fechou sem uma tendência mundial. A Nasdaq, bolsa eletrônica norte-americana, caiu 0,2%, mas a de Nova York subiu 0,1%. Na Europa, houve queda em Londres, -0,9%, e alta em Frankfurt, 0,5%. A Bolsa de São Paulo teve incremento de 0,1%

0 Opinaram:

Postar um comentário