Governo fecha o cerco ao PMDB

| |


Com a nomeação do senador Edson Lobão para o Ministério de Minas e Energia, o presidente Lula arrasta todo o PMDB, antes dividido, para o seu lado, com vistas não apenas às votações de seu interesse no Congresso Nacional, mas também de olho nas eleições de 2010. Trata-se, na verdade, de uma correção dos erros cometidos no primeiro mandato, quando o próprio Lula torpedeou as negociações do então ministro mensaleiro, peruquento, sem vergonha, safado, Zé Dirceu com os peemedebistas e acabou enrolado numa série de denúncias que paralisaram seu governo.

Basta dar uma olhadinha para ver que todos estão fechando com Lula. O atual ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, foi o primeiro. De opositor ferrenho ao governo, o deputado peemedebista virou petista de carteirinha. Mais recentemente, Michel Temer, outro adversário do PT, se aliou a Lula e trabalha junto com seu adversário interno no PMDB paulista, Orestes Quércia, para montar uma aliança visando à eleição deste ano para a prefeitura da capital.

E a oposição já percebeu a movimentação presidencial. O PSDB entendeu que Lula não está disposto a cometer outros erros e agiliza as articulações com o Democratas (ex-PFL) também para a eleição de 2008. A dificuldade é que os “demos” insistem na candidatura à reeleição do prefeito Gilberto Kassab, enquanto os tucanos, divididos, querem o lançamento do ex-governador Geraldo Alckmin, dizem, contra a vontade do governador José Serra. Mas este é um assunto para muitos comentários.

1 Opinaram:

SOLDADONOFRONT disse...

Tomará que o PMDB desta vez cumpra com a palavra.

Quem oferece governabilidade tem de garantir.

Postar um comentário