Comércio volta a descolar da produção em 2008

| |


As vendas do comércio varejista brasileiro aumentaram 1,8% em janeiro na comparação com fevereiro, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na sexta-feira. Na comparação com janeiro de 2007 (sem ajuste sazonal), a alta foi de 11,8%, melhor resultado para os meses de janeiro desde o início da série histórica em 2001. Nos últimos 12 meses, a taxa de crescimento chegou a 10%, indicando que o comércio continua a operar em um ritmo superior ao da produção industrial, que em janeiro cresceu 8,5% sobre igual mês do ano passado e acumula 6,3% em 12 meses.

"Mais uma vez a conjuntura econômica favoreceu o comércio através do aumento da massa salarial, do emprego, da renda, do crédito e do dólar baixo", disse Reinaldo Pereira, técnico do IBGE para pesquisa de comércio.

No primeiro mês do ano, nove das dez atividades pesquisadas alcançaram resultados positivos para o volume de vendas, na série com ajuste sazonal. Entre elas, as maiores altas foram de móveis e eletrodomésticos (9,8%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (7,7%), tecidos, vestuário e calçados (3,7%) e veículos e motos, partes e peças (2,6%). "Começar o ano com esses resultados mostra que o comércio está bastante aquecido. Se a conjuntura se mantiver, o comércio pode ter resultados até superiores aos do ano passado", disse Pereira.

O único resultado negativo ficou com material para escritório, informática e comunicação, com queda de 4,1% na comparação com dezembro. Este setor também mostrou retração na produção industrial em janeiro, segundo a pesquisa industrial do IBGE.

Por região, três entre 27 Estados apresentaram resultados negativos na comparação com janeiro de 2007: Roraima (-0,8%); Amazonas (-1,7%) e Acre (-8,2%). Os destaques positivos para as vendas foram Rio Grande do Norte (18,5%); Paraíba (17,0%); Mato Grosso do Sul (15,8%); Pará (15,5%) e São Paulo (14,8%). Quanto à participação na composição da taxa do comércio varejista, sobressaíram, pela ordem, São Paulo (14,8%); Rio de Janeiro (11,4%); Minas Gerais (10,4%); Rio Grande do Sul (9,4%); e Paraná (10,2%).

O IBGE ampliou os setores pesquisados a partir desta sondagem, segundo informou Pereira, passando para 10 itens

Em São Paulo, as vendas no pequeno varejo começaram 2008 em alta, com alta de 3,2% na comparação com o mesmo período de 2007, segundo apurou a Pesquisa Conjuntural do Pequeno Varejo (PCPV) da Fecomercio, que analisa preços de 600 estabelecimentos comerciais no Estado. As lojas de materiais de construção registraram o melhor desempenho, com alta de 29,9% sobre janeiro de 2007. Já o setor de móveis e decorações registrou crescimento de 4,6%, ante ao mesmo período do ano anterior.

0 Opinaram:

Postar um comentário