O consumo das famílias contém expansão do PIB

| |


Os dados referentes ao crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre deste ano mostraram que o motor dessa expansão continuou a ser o consumo das famílias, com crescimento consecutivo há 18 meses. Esse fato contém implicações que nem sempre a estatística oficial capta convenientemente. Por exemplo, os 27 vencedores do prêmio Os municípios Mais Dinâmicos do Brasil - Atlas do Mercado Brasileiro 2008 mostraram que planejamento, montagem de estrutura de serviços e integração regional têm forte impacto no perfil de consumo das famílias nas 300 maiores cidades brasileiras. Esta premiação, iniciativa da Gazeta Mercantil e da Companhia Brasileira de Multimídia, indicou que, apesar da força do consumo concentrada nas regiões Sudeste e Sul, há um novo grupo de perfeitos capaz de reposicionar suas cidades nas rotas de consumo e crescimento, exatamente pelas políticas adotadas para dinamizar as economias locais.

O dinamismo desses municípios não está plenamente refletido no perfil de consumo desenhado pelo IBGE. Segundo o instituto, o consumo das famílias brasileiras até se manteve aquecido, expansão de 6,6% no primeiro trimestre deste ano em relação a igual período de 2007, mas já apresentou visíveis sinais de desaceleração. No último trimestre de 2007, o incremento oferecido pelo consumo familiar no PIB alcançou 8,6%, ante o mesmo período do ano anterior, 2006. É preciso lembrar que o consumo das famílias é o principal componente do PIB, responsável por 60,9% do total do produto nacional. Segundo o IBGE, a alta desse consumo foi muito modesta de janeiro a março deste ano. Os técnicos do instituto insistiram em que essa expansão preocupava no último trimestre de 2007, porque indicava consumo especialmente aquecido, mas esse movimento já refluiu nos três primeiros meses deste ano.

Os números do instituto devem ser contrapostos às realidades locais detectadas pelo Atlas do Mercado Brasileiro 2008, exibindo o dinamismo da atuação de cada prefeitura. Um bom exemplo de incremento de consumo apontado pelo Atlas está na cidade de Imperatriz, no Maranhão, cidade com forte vocação atacadista. O prefeito, Ildon Marques, lembrou que o município se transformou em forte entreposto regional, atendendo em um raio de 300 quilômetros o abastecimento do norte de Tocantins, do sul do Pará e do sudoeste do Maranhão. Esse dinamismo comercial incentivou significativamente a expansão de consumo das famílias em toda a região.

0 Opinaram:

Postar um comentário