ABB fecha contrato exclusivo de automação com Petrobras

| |


A Petrobras fechou com a ABB, especializada em tecnologias de potência e de automação, um contrato para fornecimento de sistema de automação de processos e serviços para oito refinarias nos próximos cinco anos, por US$ 61 milhões. "Com a aplicação desta tecnologia, a Petrobras poderá expandir a produção nas refinarias, ampliar a eficiência energética e otimizar os custos de operação e manutenção", disse à Gazeta Mercantil Ricardo Hirschbruch, diretor de Automação de Processos da ABB. Além disso, o executivo salientou que, a partir da aplicação dos processos de automação, a estatal petrolífera brasileira poderá reduzir o percentual de enxofre dos combustíveis.

Por conta do avanço do consumo de álcool combustível, o País provavelmente terá, nos próximos anos, uma sobra de gasolina no mercado interno, cenário que obrigará a Petrobras a exportar o excedente. No entanto, atualmente especificações internacionais, como o nível de enxofre, restringem as vendas a alguns mercados, como os da Europa e os Estado Unidos. Em entrevista à Gazeta Mercantil, em maio, o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, afirmou que a estatal planeja investir US$ 8,6 bilhões até 2012 para melhorar a qualidade do diesel e da gasolina, reduzindo o nível de enxofre nos combustíveis.

Segundo o executivo da Petrobras, há duas maneiras de reduzir o teor de enxofre da gasolina: mudar o tipo de petróleo usado ou criar unidades de refino que retirem o componente da gasolina. "Estamos fazendo as duas coisas. Mudando a composição da carga fresca (petróleo), seja pelas importações de óleo leve, com baixo teor de enxofre, seja pelo aumento da nossa produção de petróleo leve", explicou.
O presidente da estatal disse também que a companhia tem "o programa carteira de qualidade da gasolina, pelo qual, nos próximos quatro anos, pretende mudar radicalmente a capacidade e o tipo de gasolina e diesel que é produzido".

"A Petrobras listou as problemáticas e nós propomos as soluções", disse Hirschbruch. "A negociação com a estatal durou quase um ano e o contrato foi fechado em US$ 61 milhões", comenta o diretor. "Outro ponto que será facilitado pela aplicação dos projetos, é o refino de óleo pesado", enumera o executivo. "Faremos uma adaptação que irá equilibrar a balança comercial do petróleo, já que hoje a Petrobras importa petróleo leve porque as refinarias nacionais estão preparadas para isso", acrescentou. O acordo também inclui US$ 29 milhões em serviços de engenharia.
O diretor da empresa explicou que a ABB fornecerá o sistema de automação com funções integradas de automação de subestações, software e hardware, atualização de sistemas de controle ABB instalados, assim como outros serviços de gerenciamento de engenharia e de projetos.

0 Opinaram:

Postar um comentário