Serra vai a Lula para renovação de usinas

| |


O governador de São Paulo, José Serra, esteve ontem com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para discutir a extensão da concessão de usinas da Companhia Energética de São Paulo (Cesp), que vencem na metade da próxima década. Esse foi o segundo encontro entre o governador e o presidente para tratar do assunto, que é crucial para o governo paulista levar adiante a intenção de privatizar a companhia.

De acordo com o governador, a proposta para renovação foi encaminhada com o presidente e também com a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, com quem Serra conversou antes da audiência. No entanto, a única definição foi de que uma nova reunião, dessa vez também com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, será marcada para depois da volta de Lula da viagem à China, que ocorre no fim da próxima semana.

“Vamos retomar o assunto. Esse é um problema que não é apenas de São Paulo, mas envolve as empresas de energia do Paraná, de Minas Gerais e até mesmo do governo federal, com Furnas. O que for decidido para a Cesp terá implicação também para essas empresas”, disse.

Serra negou, no entanto, que a pressa para resolver o problema tenha relação com alguma intenção de privatizar a Cesp, mas admitiu que a questão precisa ser bem resolvida para valorizar a empresa. “Da outra vez que vim foi antes das tentativas de venda das ações, que não funcionou. Esse é um quadro que precisa ser bem arrumado. O mercado não aceitou entrar em um projeto sem a questão da concessão estar bem encaminhada”, disse. “Para nós, agora não está posta a privatização, mas a renovação da concessão, porque isso valoriza a empresa em qualquer hipótese, quer venda, quer não venda.”

Em março deste ano, uma tentativa do governo paulista de privatizar a Cesp fracassou porque não havia definição sobre a renovação das concessões das usinas de Jupiá e Ilha Solteira, que terminam em 2015.

Dias antes do leilão da companhia, que terminou sem investidores interessados, o ministro Edison Lobão havia negado a possibilidade de renovar essas concessões e também da usina Três Irmãos, que vence em 2011.

Ao sair ontem do Palácio do Planalto, Serra disse que, para resolver o problema das concessões, há a possibilidade de modificações administrativas ou por mudança de lei, mas não informou qual proposta apresentou ao governo federal. A estatal Eletrobrás também possui cerca de 15 usinas com concessões a vencer em 2015.

Ao ser perguntado se a ministra Dilma Rousseff seria uma boa candidata para ser enfrentada em 2010, Serra afirmou que não queria falar nem das eleições deste ano, muito menos de 2010. Mas afirmou que considera Dilma uma “pessoa muito preparada”. “Tenho tido uma relação muito cordial e administrativamente muito profícua (com a ministra).”

0 Opinaram:

Postar um comentário