Médico famoso e tarado.Médico é investigado por supostos crimes sexuais

| |


Atendendo a pedidos dos meus dois leitores e uma leitora, estou levantando esse post para que mais pessoas tomem conhecimento do médico tarado e denunciem...

Pioneiro da fertilização no país, Roger Abdelmassih repudia acusações de ex-pacientes

Médico vê ação orquestrada por concorrentes e afirma que levará "caminhão" de testemunhas; promotores dizem que há provas "fortes"

Um dos pioneiros da fertilização in vitro no Brasil e um dos especialistas mais procurados em sua área, Roger Abdelmassih, 65, está sendo investigado na Delegacia de Defesa da Mulher e no Ministério Público do Estado de São Paulo por suposto crime sexual contra pacientes.
A polícia e os promotores colheram o depoimento de oito ex-pacientes e de uma ex-funcionária, que acusam o médico de tentar molestá-las. Ouviram também o marido de uma das acusadoras.
São mulheres entre 30 e 40 anos, casadas, bem-sucedidas profissionalmente, de pelo menos três Estados diferentes, que não se conheciam. Nenhuma delas aceita revelar publicamente sua identidade -com exceção da ex-funcionária (leia texto abaixo).
Dizem ter sido surpreendidas por investidas do médico quando estavam sozinhas -sem o marido e sem enfermeira presente (os casos teriam ocorrido durante a entrevista médica ou nos quartos particulares de recuperação). Três afirmam ter sido molestadas após sedação.
A investigação começou em maio no Gaeco, grupo especial do Ministério Público paulista. Para os promotores José Reinaldo Carneiro, Luiz Henrique Dal Poz e Roberto Porto, "já há indícios contundentes contra Abdelmassih, suficientes para denunciá-lo à Justiça".
"São relatos detalhados de diferentes vítimas, mulheres que não ganham nada contando isso. As histórias têm muitas similitudes e são bastante verossímeis", afirma Dal Poz.
O Ministério Público não tem prova material contra o médico, apenas relatos. "É um tipo de crime perverso, que nunca tem testemunhas nem deixa marcas. Só na alma da mulher", afirma Carneiro.
À Folha, Abdelmassih repudiou as acusações e disse ver ação orquestrada por concorrentes. "Não sou louco. Se sou alguém querido e a pessoa quer se irritar, quer entender que houve algo que não existiu, não posso fazer nada. Seis, sete mulheres [que acusam]? Tenho 20 mil pacientes que se submeteram à fertilização in vitro, são 7.500 crianças nascidas. Vou levar um caminhão de testemunhas", afirma o médico (leia entrevista ao lado).
O crime investigado é atentado violento ao pudor (ato libidinoso diferente de estupro), que pode acarretar até dez anos de prisão. O médico ainda não foi ouvido e não teve acesso à identidade das acusadoras. Chamado a depor no Ministério Público em agosto, Abdelmassih apresentou atestado médico para não comparecer.
Em novembro, o inquérito desapareceu no Fórum da Barra Funda, em São Paulo. Depois de 30 dias, foi dado oficialmente como perdido, e um novo foi refeito a partir de cópias dos depoimentos.
Às vésperas do Réveillon, um segurança encontrou o inquérito, que tem cerca de cem páginas, em um banheiro do fórum. O Judiciário abriu sindicância para apurar o ocorrido.

Denúncia rejeitada
Esta não será a primeira tentativa do Ministério Público de denunciar Abdelmassih. Em setembro, os promotores ofereceram acusação formal contra o médico com base em dois casos: o da ex-funcionária e o de uma ex-paciente que acredita ter sido vítima de violência sexual enquanto estava sedada em 1999.
A denúncia, porém, foi rejeitada pela juíza Kenarik Boujikian Felippe sob o argumento de que o Ministério Público não tem poder de investigação. No mesmo dia, ela enviou o caso à polícia, que passou a trabalhar com a Promotoria.
Uma das principais dificuldades dos promotores é convencer as supostas vítimas a depor. Apesar de se dizerem indignadas com o que teria ocorrido, a maioria reluta -além das nove depoentes, seis mulheres contaram suas histórias ao Ministério Público, mas não quiseram formalizar uma acusação.

Anonimato
Sob a condição de não revelar nomes verdadeiros, a Folha conversou com três mulheres que falaram à polícia e com duas que não querem depor.
A executiva Cláudia, 49, alega ter sido assediada pelo médico em 2003. "Aconteceu no dia em que fui implantar os embriões. Estava na sala de recuperação, me arrumando para sair, quando o dr. Roger entrou, me abraçou e disse que tinha pena por meu marido não estar lá. Ele me deu um selinho na boca, eu me afastei. Demorei para entender o que estava ocorrendo, mas aí ele prendeu o rosto com as mãos e passou a me beijar à força."
Ela diz que tentava afastá-lo, mas se sentia fraca por estar voltando de uma sedação. "Juntei as forças que tinha e gritei. Ele se assustou e deixou o quarto."
Cláudia afirma ter entrado em depressão. "Eu carregava cinco embriões em meu útero, não poderia abandonar a chance de ser mãe, mas não queria voltar. Fiquei pensando se tinha culpa, se tinha dado alguma abertura a ele."
Ela não contou ao marido e, quando soube que não tinha engravidado, voltou à clínica. "Xinguei, quebrei coisas. Ele ficou impassível. Nunca mais voltei nem tentei mais engravidar. Foi o fim do sonho de ser mãe", afirma. Na época, Cláudia não deu queixa, mas agora, após a abertura da investigação, aceitou falar à polícia.
Questionado pela Folha, Abdelmassih diz que não pode responder a acusações como essa porque não teve acesso aos depoimentos. "Não sei quem são essas mulheres nem por que estão dizendo isso."
Em agosto de 2006, outra ex-paciente, Vera, 34, foi à 2ª Delegacia de Defesa da Mulher de SP registrar boletim de ocorrência contra o médico por "importunação ofensiva ao pudor". Vera diz que estava na sala de Abdelmassih, se despedindo, quando ele "tentou beijá-la à força".
Afirmou que o médico agia de "forma natural e perguntava o motivo de ela suar frio". Como Cláudia, Vera também não parou o tratamento, porque já estava na fase de implantação dos embriões, mas exigiu que fosse supervisionado por outro médico na mesma clínica. Ela conseguiu engravidar.
Sobre esse caso, em que há um BO, Abdelmassih diz que se lembra da ex-paciente, mas que ficou espantado ao saber da acusação. "Eu me lembro que, ao sair da clínica, grávida, ela veio me dar um beijo e um abraço de agradecimento. Me diga: se tivesse havido assédio, ela teria feito isso?"
Para o promotor Dal Poz, a preocupação das mulheres em manter o anonimato é comum em crimes sexuais. "Há um receio do que irá acontecer com a própria imagem, com a repercussão dos fatos na família e na sociedade. É uma reação de proteção. A vítima se retrai", afirma.
Abdelmassih considera o comportamento estranho. "Se alguém é vítima de assédio, continua o tratamento?", questiona.
A executiva Bruna, 40, diz que, em 2006, após ter se submetido à extração de óvulos, ainda estava no quarto de recuperação quando foi beijada por Abdelmassih.
"À medida que despertava, me vi sentada na maca, escorada pelo médico, que me dizia para continuar beijando-o na boca. Uma das mãos dele estava no meu peito, por dentro do avental cirúrgico. Depois, apaguei de novo."
Bruna afirma que, ao recobrar a consciência, viu Abdelmassih com a braguilha da calça aberta, usando a mão dela para se masturbar. "Comecei a chorar. Como se fosse uma coisa normal, ele disse que, se eu não quisesse, ele parava. Ainda antes de deixar o quarto, ele perguntou se eu poderia me vestir sozinha. Saí, fui para a recepção encontrar o meu marido. Só conseguia chorar."
Bruna afirma que não levou o caso à polícia por temer eventual retaliação de Abdelmassih, por ele ser um médico famoso. Mas, por recomendação de um amigo, lavrou uma escritura pública detalhando o episódio-a Folha leu o documento.
Abdelmassih também não comentou esse caso por não conhecer a identidade da acusadora. "Como vou saber se de fato é uma ex-paciente?" http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff0901200925.htm

17 Opinaram:

TERROR DO NORDESTE disse...

Nossa! Esse cara já deveria estar preso.

Cris disse...

Quando soube deste ocorrido é como se estivesse lavado a minha alma. Eu passei por isso também. Entrei com uma denúncia no CRM em 1998 teve várias audiências e NADA!!!!!! Eles todos são união de classes e nada fazem a respeito. Fui assediada também. Ele me abordava na sala dele. Trancava a porta e fazia tudo igual aos relatos. E ele me enganou no tratamento. Eu não podia ter filhos, pelo meu problema de hormônio - aenoma na hipófise - e ele ignorou o fato. Relamente a gente fica sem ação!! Tive de fazer tratamento psicológico. Entrei em depressão!! GASTEI USD15.000,00 NA EPOCA.
Meu nome é Cristina Silva e etou disposta a prestar depoimento no Ministério Público ou outro orgão. Meu cel. (11)9211.4442

Anônimo disse...

Sem caráter, se não tem carater na vida pessoal nem na profissional terá!
tenho um ódio terreivel deste homem! Mau carater, nem de graça voltarei lá.

Cris disse...

Quando soube deste ocorrido é como se estivesse lavado a minha alma. Eu passei por isso também. Entrei com uma denúncia no CRM em 1998 teve várias audiências e NADA!!!!!! Eles todos são união de classes e nada fazem a respeito. Fui assediada também. Ele me abordava na sala dele. Trancava a porta e fazia tudo igual aos relatos. E ele me enganou no tratamento. Eu não podia ter filhos, pelo meu problema de hormônio - aenoma na hipófise - e ele ignorou o fato. Relamente a gente fica sem ação!! Tive de fazer tratamento psicológico. Entrei em depressão!! GASTEI USD15.000,00 NA EPOCA.
Meu nome é Cristina Silva e etou disposta a prestar depoimento no Ministério Público ou outro orgão. Meu cel. (11)9211.4442

Anônimo disse...

é tudo verdade, eu tambem fui uma vitima. Espero que se faça justica.

Anônimo disse...

COM CERTEZA EXISTEM CENTENAS DE OUTRAS PACIENTES QUE FORAM MOLESTADAS POR ELE, MAS O DESESPERO POR TER UM FILHO, TALVEZ FALE MAIS ALTO. ISSO EXPLICA PORQUE RETORNARAM Á CLÍNICA MESMO APÓS O ABUSO.PENA QUE NÃO TEM COMO PROVAR, POIS ELE É RICO, FAMOSO, TEM AMIGOS PODEROSOS.

guedesivonete@ig.com.br disse...

Não podemos esquecer da esola BASE.
Porém tem que se apurar com muito rigor e atenção, pois ter mais de duas mil pacientes a favor não quer dizer que uma dezena esteja mentindo.Sou testemunha de um caso cujo acusado tenho profunto amor e consideração, e sei que que é culpado do abuso que me foi relatado por tres vpitimas.Pra muitos esse meu conhecido é um santo.
Nete

Segunda-feira, 12 Janeiro, 2009

Anônimo disse...

Nossa, lendo os depoimentos percebi que é sempre da mesma maneira que esse monstro age. Eu fiz tratamento em sua clínica em 2003 e tbem fui assediada, ele segurou em meu rosto com as duas mãos e me beijou a força. Fiquei sem ação e em estado de choque saí correndo e no caminho meu cel tocava sem parar, chegando em casa vi que era de sua clinica que ligaram e minha irmã falou que ele havia acabado de ligar pra mim na minha residencia. Resolvi continuar o tratamento pois paguei por 3 tentativas e aquela seria ainda a segunda, como podia deixar meu dinheiro todo com eles? Paguei, na época CR$ 30.000,00, fora os hormonios. este monstro age qdo estamos muito fragilizadas, o tratamento é muito doloroso e existe uma pressão muito grande para que engravidemos.Irei depor.

Anônimo disse...

Mulheres - DENUNCIEM
Ele têm poder e dinheiro e vai fazer de tudo para desacreditar essas 8 mulheres. Agora, se forem muitas, ficará impossível.

Ana disse...

Não tenham medo, denunciem. Já passei por isso com um oculista quando tinha 12 anos, eu não tinha consciencia do que ocorria, só que ele apagava todas as luzes e deixava so a lanterninha na cabeça ,me beijava no escuro (colocava os labios nos meus , se esfregava e jogava os instrumentos no meu colo, para pegar depois e eu inocente não me dava conta, nem comentei com meus pais, descobri anos depois que ele me molestava quando uma amiga que era cliente dele quando tinha a minha idade tambem foi molestada.Só lembro do nome era Emidio ou Emilio , em Belém do Pará, o FDP ja deve ter morrido.

Anônimo disse...

A hora que conseguirem colocar esse homem no devido lugar dele, vai ser a minha glória, esse homem é um verdadeiro monstro. Acaba com qualquer sonho e ainda suga todas as energias e dinheiro das infelizes que acreditam nele.
Cadeia já...tira o CRM dele

Anônimo disse...

Fiz tratamento com Dr. Roger entre 2005 e 2006 e passei pelo mesmo constrangimento dessas mulheres, sempre que ele estava sozinho comigo tentava me beijar a força, no início quando nos cumprimentávamos ele sempre escorregava sua boca do meu rosto para meus lábios, como eu me afastava assustadada ele dizia que isso era bom para mim, que eu estava precisando de carinho. Procurei nunca mais ficar às sós com ele, se tinha que entrar em sua sala, ficava perto da porta para fugir se precisasse. Não abandonei o tratamento porque já havia pago as 03 tentativas, gastei mais de 80.000,00 e tinha esperanças de conseguir engravidar nessa clínica apesar de tudo isso. Também fui beijada ao voltar da sedação. Esse homem tem o poder da mídia ao seu lado e se faz de santo, mas uma hora ela vai se pego. Só as famosas falaram bem dele, é claro que ele não é bobo de se meter com elas, mas nós pessoas comuns, somos um alvo fácil nas suas mãos.

Anônimo disse...

Prendam e desmoraliza esse médico bandido e tarado além de explorador das que desejam ser mãe e pais. Ele é desonesto mesmo, pois quando a pessoa pretendente a ser mãe tem fama, ele engravida na primeira vez, quando é anônimo, leva anos cobrando a cada enseminação.. Conheço um casal que tentou com sete inseminações e só conseguiu 1 filho... ele ainda ficou com o resto do pacote... é explorador...Prendam este médico

Elisa disse...

Que horror!!

Anônimo disse...

Esse safado tem que apodreser na cadeia. Esse tipo de caso acontesse até nas igrejas. Aconteceu comigo quando um Pastor em ritual p/ libertação de espiritos maus... se aproximava de mim para pegar nós meus seios, é se esfregar em mim. Ele fiz isso c/ varias outras menbros dessa congregação. Eu tinha 15 anos , é as outras que passavam por isso também eram menores.

Anônimo disse...

Quero denunciar,pois também fui vítima. Como devo proceder?

Anônimo disse...

alguem pode denunciar esse babaca do diabo porque ele pode ficar solto e fazer aquilo de novo ,eu odeio isso eu ja to com vontade de matar ele, porque ele nao ficou prisao perpetua ai que raiva,denuncia nao deixe isso pra atras vai ficar pior,que droga a justiça nao ve o futuro das mulhres estao sofrendo que maldito do velho porco e justiça burro,mulheres denunciem pela amor de deus va e diga que ele fez de mal hum por favor, eu quero ele morre na cadeia ate firar em pó,nao importa se ele e rico mas tem que ser preso ,to com vontade de atropelar esse velho porco.

Postar um comentário