Indústria mantém otimismo elevado

| |

Apesar de ainda se manter elevado, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) recuou pelo terceiro mês consecutivo em abril. O indicador, de acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), registrou neste mês uma queda de 0,8 ponto, ao se situar em 66,9 pontos.

O Icei varia de zero a cem. Valores acima de 50 indicam que os empresários estão confiantes. No ano, o índice acumula retração de 1,8 ponto. Mesmo assim, a entidade destaca que a confiança do empresariado se mantém em patamar elevado, com oito pontos acima da média do indicador.

Marcelo Azevedo, economista da CNI, atribuiu a queda neste mês a um ajuste natural. Segundo ele, este período do ano sempre apura oscilações negativas, porque o otimismo, geralmente mais elevado em janeiro, tem pequenas reduções nos meses seguintes. Azevedo lembrou que apenas em 2008 e 2009 o Icei não teve um recuo em relação ao mês anterior.

Em 2009, segundo Azevedo, o índice cresceu porque a economia brasileira iniciava o processo de recuperação após a crise financeira mundial, que teve maior impacto no país entre setembro de 2008, com a quebra do Lehman Brothers, e o primeiro trimestre do ano passado. Já o comportamento de 2008 foi influenciado pelas elevadas perspectivas de crescimento no período.

O principal destaque positivo ficou por conta do otimismo da indústria extrativa, que atingiu 68,2 pontos em abril. O setor acumula uma expansão ininterrupta de 17,5 pontos desde abril de 2009. Entretanto, entre os 27 setores da indústria de transformação pesquisados, 13 apresentaram uma queda acima de um ponto na comparação mensal.

As maiores quedas ocorreram nos segmentos de refino de petróleo, metalurgia básica, máquinas e materiais elétricos. A CNI também mediu o índice das expectativas para os próximos seis meses. Neste caso, o indicador recuou de 71 para 69,7 pontos. A pesquisa foi feita com 1.486 empresas, entre 5 e 19 de abril.Valor Econômico

0 Opinaram:

Postar um comentário